Rua Joaquim Nabuco, 116 - Centro - Criciúma/SC  (48) 3413-5900

Café aromático: O que é?

Quando se pensa em café logo vem à mente o seu aroma, isso pelo fato do café ter um poderoso efeito na região do cérebro, capaz de regular as sensações de prazer, motivação e atenção.

Recentemente foi feita uma pesquisa em busca de desvendar os efeitos que o café aromático tem sobre o cérebro humano, o neurologista Jorge Mol Neto que é o coordenador do projeto, afirma que ‘‘Um fato interessante que chama grandemente a atenção é a potência com a qual o café aromático provoca a ativação de outras regiões do cérebro – como a parte dos mecanismos que envolvem a atenção seletiva, experiência de prazer ou recompensa’’.

O café possui pelo menos 200 componentes voláteis – o que é bem mais do que o que há no vinho e até nos perfumes.

O café aromático também possui o poder de estimulado o corpo e a mente, pois ele gera ação e movimento, dá disposição e desperta o organismo. Ele também concede auxílio quando um indivíduo precisa manter a concentração para se ter mais atenção, foco, e não se distrair.

Beber uma dose diária de café (ao menos 200ml) traz benefícios a saúde como uma significativa melhora no bom humor e também prevenindo a depressão. Isso se deve ao fato da bebida agir diretamente sobre o sistema nervoso central, influenciando assim, o estado de humor da pessoa que ingeriu a bebida.

O café também estimula o sistema nervoso causando a redução da apatia, sono ou fadiga. Além de deixar as pessoas mais concentradas por favorecer as atividades mentais.

 

De onde vem o aroma do café?

O café aromático tem seu sabor encontrado entre os elementos ácido e amargo.

O responsável pelo seu amargor é a própria cafeína, pois chega a representar cerca de 30% do sabor do café. Alguns outros compostos de sabor amargo são formados pela glicose, sacarose e frutose.

Porém, alguns cafés aromáticos de sabor mais fino, advêm de seu conteúdo ácido. Os principais ácidos presentes no café são o acético, cítrico, málico e fosfórico.

Os voláteis são os que evaporam no ar e que se conseguem sentir pelo olfato e paladar.

A engenheira agroalimentar – formada na área do café, chamada Sandra Azevedo, exemplifica o cheiro do café. ‘‘O que nos faz sentir um cheiro forte de café é o CO2, um composto volátil que é solto durante a torra do café’’.

Um grande fator que interfere no sabor e aroma do café é a armazenagem e a temperatura na qual os grãos são expostos no processo de torra e na altura da secagem.

O café que mais solta aroma em seu preparo é aquele com filtro, e isso se deve ao fato de haver um tempo mais longo para a sua preparação, que pode levar de 4 a 6 minutos.

 

A influência no sabor e aroma do café

Você sabia que depois da água, o café é a bebida mais consumida em todo o planeta?

Dados de uma pesquisa feita em 2005 mostra que são consumidas 400 bilhões de xícaras de café por ano.

Cada passo na produção e serviço, influenciam no sabor e aroma do café, deixando ele com mais ou com menos qualidade. Alguns desses passos são:

Alguns fatores proporcionam características diferentes aos grãos, como as condições existentes no solo, o clima e o relevo.

 

Os cafés industriais mais utilizados são os de espécies arábica, por serem mais gourmet. Os grãos arábicos são mais utilizados em cafés gourmets por serem mais gostosos, aromáticos e equilibrados, além de possuírem um sabor delicado e doce. E os robustos (canéfora) possuem características com sensações mais inferiores, estes são os mais utilizados em residências, são cafés menos aromáticos, de sabor menos delicado, deixando um gosto menos agradável na boca.

Os grãos devem ser colhidos de maneiro seletiva, não podem ser colhidos todos juntos, se não, os grãos verdes que dão mais adstringência a bebida estarão misturados aos grãos bons.

A saca que antigamente era mais utilizada, é mais porosa e deixa um sabor chamado sacaria e por este motivo não vem mais sendo utilizado por muitos produtores.

A torra aumenta a capacidade dos grãos soltarem aromas e também influencia na transformação do amido em açúcar, deixando os grãos mais doces. As pessoas se acostumam com um café amargo, pois consomem grãos muito torrados, e os produtores torram bastante os grãos quando possuem muito defeito – isso tendo a intenção de escondê-los.

A embalagem afeta o sabor do café, pois ele é como uma esponja e absorve tudo. As melhores embalagens são a vácuo, que possuem um tipo de válvula para a saída do gás carbônico.

Já as embalagens almofadas que são completamente lacradas, possuem micros furos para que o gás carbônico saia, porém, estes micros furos também permitem a entrada de outros odores, podendo assim deixar o café menos aromatizado.

Uma dica para se fazer um bom café é sempre utilizar água filtrada e não deixar que a água ferva completamente, pois ela queimará o pó do café, deguste ao menos o primeiro gole sem a adição do açúcar, para poder sentir a diferença entre o café.

 

Portanto, aqui fica mais dicas sobre cafés aromáticos e sua produção!

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Youtube
Contact us
Categoria: Sobre o CaféTags: , , ,

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mostrar
Esconder